Beleza

Maquiagem | Vegana x Cruelty Free – Tem diferença?

Aqui pra nós, você conhece a origem das suas maquiagens? Já ouviu falar em maquiagem vegana e/ou maquiagem cruelty free – que em  português significa livre de crueldade? Até pouco tempo não fazia ideia e, nos últimos dias, a The Body Shop que tem como uma de suas embaixadoras, ninguém mais, ninguém menos que a Fernanda Linda Lima, trouxe uma dessas vertentes para debate, e eu, gente boa que sou, resolvi falar um pouco mais com vocês sobre o assunto.

Não, eu nunca fui dessas pessoas cheias de filosofias de vida e que se preocupava muito com esse tipo de coisa, até porque na minha adolescência nada desses temas eram tão abordados, a internet não tinha esse alcance, nem toda essa força quando o assunto era conscientização. Pouquíssimo se sabia sobre veganismo e, no máximo, no máximo, você conhecia um vegetariano e nem entendia como ele era capaz de sobreviver sem comer carne. Então, maquiagem era maquiagem e ponto.

Mas vamos ao que interessa, né non? O lance é que hoje em dia vem se falando muito sobre defesa dos animais, em um consumo mais consciente, e no mercado da beleza não está sendo diferente. As pessoas vão levantando suas bandeiras e as indústrias vão começando a se adequar, caso não queira perder espaço pra quem já vem fazendo isso de forma mais intensa.

E o que são as maquiagens veganas ou cruelty free? Há diferença entre elas?

Sim, tem diferenças entre as duas e é isso que eu vou explicar agora, e de forma bem simples, até porque eu não sou nenhuma especialista no assunto, mas foi assim que eu consegui entender cada uma.

Segundo o blog Logical Harmony, um produto que é vegano não contém ingredientes animais ou ingredientes derivados de animais. Isso inclui, mas não está limitado a, mel, cera de abelha, lanolina, colágeno, albumina, carmim, colesterol, gelatina e muitos outros. Para muitos, o termo “vegano” também significa que um produto está livre de testes em animais. Como o termo não está regulado, é usado frequentemente para simplesmente notar que um produto não contém ingredientes de origem animal. Os itens que são testados em animais podem reivindicar ser “veganos”.

Existem dois logotipos que são usados ​​para mostrar que um produto é certificado como vegano – o emitido pela Vegan Action e outro emitido pela The Vegan Society – no Brasil o selo/certificado é emitido pela Sociedade Vegetariana Brasileira. Isso significa que um produto não tem ingredientes animais ou ingredientes derivados de animais, mas pode não significar que o produto é livre de crueldade.

O que define um produto livre de crueldade?

O Logical Harmony explica que, para que um produto seja livre de crueldade, não deve haver nenhuma forma de teste em animais em qualquer ponto na criação de produtos da marca. É comum que as empresas não testem o produto final em animais, mas testá-lo ao longo do caminho ou usar ingredientes que foram testados em animais por um terceiro. “Exigido por lei” teste animal também é comum. Isto significa que os produtos acabados são testados em animais por um terceiro para cumprir as várias leis regionais em todo o mundo. Esses produtos, não importa o que a embalagem diga, não são livres de crueldade.

Os produtos que não são testados em animais não são necessariamente veganos. Os ingredientes comumente usados ​​incluem: mel, cera de abelha, lanolina, colágeno, albumina, carmim, colesterol, gelatina, etc. Se você deseja evitar esses ingredientes, então, comprar produtos veganos seria um bom curso de ação para você.

Nesses casos a certificação acontece por meio de algumas organizações internacionais como as americanas Leaping Bunny e PETA e a australiana Choose Cruelty-Free, por exemplo. Seus sites contém relação de produtos, não só de maquiagem com também de materiais de limpeza, que não fazem testes em animais e alguns também informam quando o produto é vegano, vegetariano e etc.

A bem da verdade uma não anula a outra, ou seja, pode ser vegana e não ser livre de crueldade e o contrário também. Mas o ideal é que você consiga identificá-las e, se essa for sua vontade, priorizar por empresas que se preocupam com essas questões. Se na hora da aquisição você identificar alguns dos selos mostrados aqui, já sabe que pode ficar tranquila, mas na dúvida é só recorrer às internet ou entrar em contato com as empresas. Até porque, pode sim acontecer da empresa não fazer testes em animais  e mesmo assim fazer parte dos programas das organizações citadas.

Eu confesso que nunca fiz isso, mas a partir de agora pretendo SIM, atentar e priorizar as marcas que tomam esse cuidado, principalmente com a crueldade.

Ah, e pra facilitar vou deixar aqui um link com algumas marcas pra vocês conferirem, ok?

Leave a Reply